terça-feira, julho 19, 2005

mais uma vez me oferece

O cara da portaria disse que tinha pão de graça, puta que pariu não tenho maionese...
É o que acontece quando se esquece de esquecer a tampa que tapa a boca do maú hálito das bichas que correm livremente pelo corredor vendendo balão de festa junina.
Enquanto isso na enfermaria estão todos pedidos de liberação da cadeia estadual de uma cidadezinha pequena que se situa no meio da fazenda do tio João que vende peixe nas horas vagas para as pessoas que gostam de comer caramelo com açucar.