terça-feira, agosto 23, 2005

LULA E OS SETE GATINHOS - Caco Galhardo

Apenas copiei e colei do endereço:

http://www2.uol.com.br/cacogalhardo/ult1338u127.shl

Se o que está rolando em Brasília é um grande teatro, a peça certamente é do Nelson Rodrigues. E é a encenação perfeita dos "Sete Gatinhos".Pra quem não leu, ou não se lembra, é a história da família do contínuo Noronha e o drama de suas sete filhas. Seis delas são próprias piranhas e a caçula, Silene, é o tesouro da família, virgem, pura e imaculada, a única capaz de lavar a alma podre da família. Pois em certa altura do campeonato, descobrem que Silene não é nenhuma santa, tem um casinho com o malandro Bibelô e está grávida. Daí aquele bafafá familiar, agora corrompido de uma vez por todas; o pai surta e resolve assumir sua condição, transformando sua casa em um bordel.Pois nesta montagem em Brasília, estrondoso sucesso de público, Lula interpreta o papel da Silene com desenvoltura invejável. As seis irmãs são o bando de deputados e senadores, famosos pela técnica ancestral de rodar a bolsinha. O contínuo somos nós, o povão, que, ingênuos e cegos, apostamos nossas fichas na figura daquela que parecia ser a última das livres de pecado.Contrariando o desenlace, estamos na dúvida se expulsamos a filha ou assumimos o bordel. Sou da opinião que devemos seguir o texto original, pois, assim deve ter pensado o próprio Nelson, expulsar a filha seria hipocrisia demais. Não tem mais esperança e ilusão de pureza nesta família. A degradação tomou conta do pedaço e pronto. Então vamos logo assumir esse puteiro! E chega de drama.