quarta-feira, outubro 26, 2005

É engraçado como a vida é cada dia pior, por mais que não pareça ou nos enganemos! O vazio ou o fútil substitui o verdadeiro, como se não tivéssemos mais nada para falar um ao outro. E por mais doloroso que seja, sabemos o motivo. Encontros e desencontros mudam o foco dos passos. Uniões e fragmentações compõem um cenário cada vez mais triste de se viver... ou não... Mudanças são necessárias para evolução. Mas para onde, quando e por quê? Odeio ser mais uma ovelha que simplesmente sabe que vai morrer, por isso não nos enchamos o saco! A ilusão coletiva pareceu real e por isso foi tão intensa...



“Pelo prazer de chorar e pelo estamos aí...” – Chico Buarque, Deus Lhe Pague