sexta-feira, junho 01, 2007

Minha Poesia sem pretenção

Quantas estrelas há no céu?
Faço várias no meu papel!
Quantas vontades eu perdi?
Mas ainda não me despedi!
Quantos problemas me fizeram parar?
Fiz questão de me renovar!
Quantas vezes ainda vão me testar?
Todas que eu puder suportar!
Quanto mal eu já causei?
Isso eu não sei ao certo, mas já me reeinventei!
Quantas vezes vou escutar minha própria voz a me torturar?
Todas as vezes que eu mesmo traia o meu pensar!
Quantas pessoas que me amam eu fiz chorar?
Mas nenhuma delas deixi de amar, e me desculpo por magoar!
Chuva e sol, noite e dia, frio e calor. Sou eu, somos nós, somos vida e amores!