quinta-feira, fevereiro 21, 2008

Um e dois momentos de viagem

O vento soprando no ouvido,
mas só quem pode ouvi-lo, é quem não comprometeu suas fronteiras.
Sem nenhuma pressa, parei pra ouvir.
Ele passou sussurando, me levando os pensamentos lá pra longe.
Como num piscar de olhos, já estava sobre as águas do mar distante.
O que se passa longe, bem onde meus olhos não alcaçam...
Mas é pra lá que vai meu pensar, na fronteira do acreditar e fantasiar.
Nada como um bela história inventada, para ser vivida.