quarta-feira, março 12, 2008

Aos loucos

No paraíso dos loucos
Não há tantas certezas
As vezes até mais belezas,
Mas sempre sonhos tortos

Nessas mentes brilhantes
Bens materiais não convém,
Mas grandes amores mantém
Sentimentos inconstantes

A busca do inesperado
Das grandes importâncias
De amar mesmo a distância
Algo que por si foi criado

Um sonho inacretitável
Para aqueles que pastam,
Para os que voam
Nenhuma fronteira imaginável