segunda-feira, maio 12, 2008

Delírio

O que você acha que está fazendo aqui
O que pretende tirar desse lugar amargo
E desses dias cinzas sem sol e sem sal
O que você quer ouvir?

Não vou te ensinar a dar os passos
Tens as suas pernas
Também não posso te ensinar novos caminhos
Tens suas escolhas

O que posso lhe dizer, é que a fronteira do seu olhar falha
E se está um dia cinza, é os olhos de quem vê
Como podemos colorir essa vida sem fantasiar ou mesmo criar?
É como esquecer o que realmente nos dar prazer

Fico aqui imaginando o tempo em que desprenderei completamente
Dessa linha presa a força em minha vida
E realmente abrir os olhos e ver
Que tudo pode ser o que não é. E o que é pode ser, o que eu não quero

É meu caro as coisas complicadas dão preguiça
Porém as mais fantásticas descobertas
Pois dentro desse complexo emaranhado de idéias pré-formadas
Está o que és e não adianta viver só nesse revés