segunda-feira, agosto 13, 2007

Um dia...

Um dia desses passados,
A alegria era constante, e era inacreditavel o fim de tal...
E como se algo apertasse, segurasse e faltasse um pedaço...
É como pensar ao vento sem serem percebido, e concebido...
É um laço que eu criei com a minha própria irrealidade que é minha e só minha...
É como em um momento tudo ser como eu sempre quis, e no outro preferia nem estar aqui...
Um momento no absurdo, e outro na realidade desplanejada...
Como se cortasse uma árvore, mas não de uma vez. Aos poucos até que ela caia!
E então nasce uma muda no tronco ja meio seco e maltratado...
Mas então, outro pedaço é arrancado...
É dificíl compreender, é muita voracidade de uma vez só...
Já não sei bem o que me faz tão bem...
Mas sei de coisas que me fazem ir um pouco além...